Na LusoFin estamos a criar uma tradição: o pessoal que vive na capital encontra-se regularmente para uma bejeca (ou café) e conviver.

Encontro comunidade portuguesa Finlandia - helsinquia A ideia √© juntar o pessoal regularmente, sem necessidade de grandes planos ou prepara√ß√Ķes.

[NOTA: Se deseja receber informação sobre os próximos futuros convívios directamente no seu email veja aqui.]

De momento os eventos decorrem a cada 2 semanas (nas semanas pares, se usam um calendário finlandês). Com tempo esperamos fazer ocasionalmente algumas coisas mais elaboradas do que juntar as pessoas num Pub ou Café. Se tem ideias pode partilhá-las aqui ou neste tópico do fórum.

Estamos a praticar, aquilo que o Tiago chama de a lei do menor esfor√ßo, ou o KISS, para quem prefere um acr√≥nimo. Quer isto dizer que o anfitri√£o apenas tem de designar a data e local, criar um t√≥pico no f√≥rum (tamb√©m se recomenda criar um evento no Fbook) e aparecer a horas. No final do encontro o anfitri√£o escolhe um sucessor. √Č isto!

Se desejam preparar algo mais elaborado, obviamente que o podem fazer, mas convêm manter as expectativas bastante modestas.

Poderão seguir os próximos convívios no nosso fórum dos encontros ou através do Facebook.

boletim A LusoFin tem vindo lentamente a mudar, com maior envolvimento por parte de uma nova geração de membros. Hoje começamos uma nova etapa com o lançamento da nossa newsletter semestral.

H√° novidades que o justificam. Segue a mensagem na integra. Queira utilizar o espa√ßo dos coment√°rios para partilhar a sua opini√£o, sugest√Ķes e cr√≠ticas construtivas!

Continue reading

Pilares de luz em Oulu A Finl√Ęndia √© conhecida como a terra do Pai Natal, pela neve, sauna, tecnologia e educa√ß√£o. O que talvez n√£o saibam √© que neste pa√≠s existem alguns dos melhores locais para ver Auroras Polares.

Como explica o Wiki, a aurora polar √© um fen√īmeno √≥ptico composto de um brilho observado nos c√©us noturnos nas regi√Ķes polares, em decorr√™ncia do impacto de part√≠culas de vento solar e a poeira espacial encontrada na via l√°ctea com a alta atmosfera da Terra, canalizadas pelo campo magn√©tico terrestre.1 Em latitudes do hemisf√©rio norte √© conhecida como aurora boreal.

Neste hemisfério decorrem sobretudo entre Outubro e Março. São bastante imprevisíveis, pelo que apanhá-las será uma questão de sorte.

Continue a ler

[Esta entrada é a continuação do artigo da semana passada: A tua mãe não te preparou para as raparigas finlandesas.]

mulher-finlandesa

Ao longo da sua adolesc√™ncia e juventude, uma portuguesa recebe repetidas advert√™ncias da sua m√£e acerca da natureza dos rapazes. ¬ęOs rapazes fazem isto, dizem isto e s√≥ querem aquele outro¬Ľ, voc√™s sabem ao que me refiro. Os rapazes, educados para ser predadores, tamb√©m recebem algumas advert√™ncias mas de forma alguma est√£o t√£o preparados como as raparigas. Ent√£o quando se tratam de n√≥rdicas, os portugueses e latinos em geral, est√£o completamente √† nora.

Elas são bonitas, loiras e educadas. São directas e quando um tipo se chega ao perto, elas dão bola. Não só respondem como tomam a iniciativa. Na agora de selar o acordo elas não agem como se tivessem o rei entre as pernas. Um rapaz do sul da Europa fica facilmente de joelhos com estas deusas nórdicas.

Se perguntarem a um grupo de estrangeiros o que eles pensam das finlandesas as respostas deles poder√£o variar, consoante eles acabem de chegar √† Finl√Ęndia (incr√≠veis, bonitas, inteligentes) ou se tratem de emigras a viver c√° h√° v√°rios anos. As respostas destes variam consoante a situa√ß√£o do interlocutor, desde a indiferen√ßa, a desilus√£o, os ep√≠tetos pouco ou nada elogiosos, at√© ao ressentimento de quem se sente ter desperdi√ßado anos da sua vida em v√£o ou ter sido enganado. S√≥ excepcionalmente ter√£o aquele entusiasmo quase infantil dos seus tempos de rapazolas novatos na Finl√Ęndia.

O que se passou, ent√£o?

Continue reading