Ze povinhoVocê não compreende que eu sou embaixadora e já o meu pai era embaixador?

Não se tratava de nenhum representante de uma cleptocracia africana ou de um país do terceiro mundo, mas sim da representante de Portugal neste país e nos bálticos. Segundo conta o Iltalehti (em finlandês) Diplomata atrevida força a entrada num evento cheio em Helsínquia: «não percebe que eu sou embaixadora?» a senhora chegou a um evento que tinha como convidada Federica Mogherini, a alta represente da EU para a política de segurança. O evento estava previamente esgotado e havia até em fila de espera representantes de outras embaixadas.

Não percebe, que eu sou a embaixadora de Portugal? Você compreende que eu sou embaixadora e já o meu pai era embaixador?” terá dito a embaixadora Maria de Fátima Perestrello. Acrescentou ainda que o evento era precisamente para pessoas “como ela.” E marchou por ali adentro.

A jornalista do Iltalehti não se coibiu de espremer ao máximo a notícia, citando até a resposta que a embaixadora deu quando lhe pediu uma explicação: “Desculpe, mas porque é que eu deveria responder a esta questão?”

2 thoughts on “Podes tirar o tuga do tugal…

  1. Boa tarde, tive o conhecimento desta notícia através do clube de jornalistas. É de facto um comportamento lamentável, mas, infelizmente, não é único.
    Como num caso em que tive a infeliz oportunidade de assistir, alguns embaixadores demonstram publicamente repúdio, para não dizer nojo, por demonstrações da cultura popular portuguesa, o que é igualmente lamentável, pois não compete ao nosso embaixador fazer a negação das nossas tradições e das práticas socioculturais de parte de um povo que é suposto representar.
    Não sabe se em relação a este caso a comunidade portuguesa na Finlândia fez seguir para Lisboa uma missiva de protesto pelo sucedido, acompanhada por uma chamada de atenção para que isto não se repita e um pedido de desculpas aos finlandeses e aos portugueses aí residentes?
    Sendo emigrante português, embora não na Finlândia, também fico chocado pela falta de nível dos nossos representantes, assim como pelo íato entre o mundo feito de aparências em que estes vivem e a realidade das coisas. As coisas só mudarão se houver diligências da nossa parte para que isso aconteça. Quanto a eles, apenas não querem ser importunados nas suas “vidinhas”, algo que temos de contrariar.
    Gostaria ainda de propor a correção do seu texto. Existe uma diferença entre embaixadora e embaixatriz. A embaixadora é a tutelar do cargo de representante diplomático da República Portuguesa, enquanto a embaixatriz é o nome dado à mulher do embaixador. Embaixatriz é pois um título honorífico sem qualquer importância de Estado, à imagem do título de “primeira dama”.
    Bem haja.

    Reply

Leave a reply

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> 

required