Sempre que a conversa recai sobre o sistema de educação finlandês e os seus bons resultados, sobretudo em matemática, fala-se sobretudo na reduzida carga horária, na (relativa) escassez dos TPC e no facto de as crianças iniciarem o ensino aos 7 anos de idade.
Os críticos apontam a fonética da língua finlandesa como elemento essencial do “sucesso” finlandês – o finlandês escreve-se praticamente da mesma forma que se fala. Uma experiência recente de uma professora primária em Itália aponta outras pistas:

“Finnish instructional material relies on children’s own reasoning ability. Many exercises consist of only images and the pupils themselves have to figure out the nature of the problem to be solved,” she says.

The end result of the trial is that the Lucca year threes outperform the other groups in terms of their mental arithmetic and independent reasoning. Positive results were not limited to maths however – Piccinini’s class has also leapt past the other classes in several cognitive areas, like reading comprehension and concentration skills.

Artigo completo

A professora traduziu ela mesma os livros de matemática e os alunos mostram-se bastante entusiasmados com a experiência. Todavia, convém assinalar que não passa disso mesmo, uma experiência. A prova dos nove só poderá ser efectuada quando outros professores – bons e maus, entusiasmados ou aborrecidos – conseguirem resultados superiores à média utilizando esta abordagem.