Se Maomé não vai à montanha…

Era uma vez um país onde os vinhos não eram vendidos nas “lojas normais”. Ou melhor, o grau dos vinhos vendidos no país estava acima do limite permitido para venda nos supermercados. Um portuguès pensou se não seria boa ideia produzir um vinho mais fraquito mas que se pudesse vender em todo o lado. Pensou mas não disse nada. Muitos outros terão pensado mas não fizeram nada. Até que um dia uns italianos perceberam a janela de oportunidade que se abria e fizeram uma coisa brilhante: Continue reading

abc finlandNo outro dia a edio local do Metro publicou uma crnica humorstica de um dos seus redactores intitulada ABC of Finland. A pea estava em ingls mas era claramente dirigida aos locais (a maior parte das piadas no fazem sentido para quem no conhece o pas, a cidade e as suas gentes). Ainda que sob o risco de deixar os leitores a ver navios no resito a partilhar aqui para aqueles que conhecem – ou julgam que conhecem a Finlndia.

Continue a ler o ABC da FINLNDIA

cascaisworlds2007_2.jpg20pix.gifcascaisworlds2007.jpg

O Campeonato do Mundo de vela est a decorrer em Cascais at 13 de Julho. Neste campeonato vo decidir-se os apuramentos para os Jogos Olmpicos de Pequim em 2008. Esto c os melhores velejadores de todo o mundo, mas na imprensa nacional quase nem se fala disso; s futebol.

De uma voltinha que fui dar marina de Cascais consegui vislumbrar uma das equipas femininas finlandesas (as senhoras das fotos), mas no sei quais os resultados que tm tido. Dos portugueses, pelo menos o Gustavo Lima permanece uma esperana para as qualificaes!

(A partir de Anexao)

Helsnquia quer expandir o seu parque habitacional. Ora bem, por onde se comea?

Por urbanizar zonas como as de Viiki, onde Helsnquia mantm campos de cultivo (sim, meus caros, eiras de cereal numa cidade que se autodenomina “cosmopolita”) , reformular reas habitacionais deprimentes (Jakonmki de blocos acimentados, Konttula de arvoredo, e quejandos), ou pura e simplesmente invocar “espao vital”– boa maneira da Alemanha Nazi–e roubar terreno aos vizinhos? Pois, vai-se pela ltima, afinal, Helsnquia est acima de tudo neste pas.

Mas porque raio vo a Sipoo? Causa engulhos que a rapaziada no queira freneticamente construir, mas ao invs manter-se pacata e ecolgica? No tero eles o direito de se diferenciarem exactamente por no ser Helsnquia, ou de fazer o que querem dentro da sua cidade? No, ns que sabemos como vos deveis desenvolver, diz Helsnquia– boa maneira colonialista.

No, no questo de Helsnquia estar saturada e Sipoo no querer construir. Se assim fosse, h muito terreno em Vantaa, e o ideal seria mesmo juntar as duas cidades. Acabava-se com problemas de espao para construo de fogos, fazia-se o metro at Tikkurila, o comboio at ao aeroporto, era bom para todos.

A questo que o que est saturado em Helsnquia a linha de costa. At parece que vo construir cogumelos junto ao mar para albergar os 10.000 novos habitantes que Helsnquia justifica para querer mais costa territrio ainda. vergonhosa a hipocrisia.

sipoon alue  helsinkiinA cidade de Helsnquia decidiu que precisa de crescer e encontrou na vizinha e pacfica Sipoo a vtima o parceiro ideal: A rea a laranja no mapa vai passar para a posse de Helsnquia se o Supremo no colocar entraves.
Protestaram os cidados de Sipoo, 93% votaram contra em referendo organizado pela cidade mas de pouco lhes valeu: o governo acedeu s pretenses da capital por 8 votos contra 4. Democracia em aco…

Helsnquia argumenta que precisa da rea para expandir o seu parque habitacional. Os habitantes da pacata cidade preferiam no ver a sua reserva transformada em dormitrio da capital, para mais quando algumas reas da parte oriental da cidade nem por isso so recomendveis.

No meio fica Vantaa, que no s aceitou ceder o territrio a amarelo que separa as duas cidades como j antes cedera Vuosaari, a rea mais oriental da capital. Desconfio que em Vantaa nem por isso se importariam muito em ser anexados por completo a Helsnquia.