Na LusoFin estamos a criar uma tradição: o pessoal que vive na capital encontra-se regularmente para uma bejeca (ou café) e conviver.

Encontro comunidade portuguesa Finlandia - helsinquia A ideia é juntar o pessoal regularmente, sem necessidade de grandes planos ou preparações.

[NOTA: Se deseja receber informação sobre os próximos futuros convívios directamente no seu email veja aqui.]

De momento os eventos decorrem a cada 2 semanas (nas semanas pares, se usam um calendário finlandês). Com tempo esperamos fazer ocasionalmente algumas coisas mais elaboradas do que juntar as pessoas num Pub ou Café. Se tem ideias pode partilhá-las aqui ou neste tópico do fórum.

Estamos a praticar, aquilo que o Tiago chama de a lei do menor esforço, ou o KISS, para quem prefere um acrónimo. Quer isto dizer que o anfitrião apenas tem de designar a data e local, criar um tópico no fórum (também se recomenda criar um evento no Fbook) e aparecer a horas. No final do encontro o anfitrião escolhe um sucessor. É isto!

Se desejam preparar algo mais elaborado, obviamente que o podem fazer, mas convêm manter as expectativas bastante modestas.

Poderão seguir os próximos convívios no nosso fórum dos encontros ou através do Facebook.

No Juhannus do ano passado notei um grupo de turistas lusos, rapazes educados e bem vestidos, a assistir ao jogo da selecção num dos bares da cidade. Um dos rapazes engraçou-se com uma rapariga e vi-os mais tarde noutro bar. Os rapazes pareciam estar a jogar um desporto colectivo, revezando-se na tarefa de ajudar o amigo a entreter e atrair a moça e quiçá este tivesse sorte…
O nosso herói ainda não tinha assimilado a sorte que lhe caíra do céu, e estava até um pouco desorientado. A moça, essa, dava sinal de enfado. Estive até tentado a ir ter com ele e perguntar-lhe porque esperava: “Oh pá, olha que ela tem a escova de dentes na mala.” A mala dela era realmente muito grande.

Recordo-me de a ter visto ao final da noite na companhia de um local. Não sei o que se terá passado mas se pedissem um palpite diria que o rapaz não percebeu que o prémio era ele. Que ele não se apercebeu que ela estava “ganha” quase desde o momento em que que ela o viu e que não havia necessidade de a conquistar. E que as tentativas dele para a convencer dos seus talentos apenas serviram para a aborrecer e convencer que afinal o rapaz não tinha muito jeito para coisa.

A verdade é que um encontro sexual em Helsínquia é bastante mais acessível do que os portugueses estão habituados. Basta determinação suficiente, um critério suficientemente “largo”, uma pontinha de sorte e… ser fácil. Um português chega com a mentalidade de que conseguir alguma coisa é “ter sorte.” Já entre as locais, há muitas que que partem à conquista. E que acham que um rapaz com determinadas características é um prémio apetecido… Muitas não hesitam em fazer-lhes a corte. As mais hábeis deixam-se seduzir, tal como as latinas. Mas a maior parte é bastante transparente nas suas intenções, que só a nossa mentalidade de escassez nos impede de ver.

Continue reading

Aqui há umas semanas, com -10 e piso gelado, fui às compras de bicicleta.
Nenhum problema. Aparte o fresquinho nas ventas, mas olha, é a vida. De resto, o piso estava duro, às vezes davam-se uns saltinhos, mas nada de especial que impedisse a normal prosecussäo da bicicletada.

Logo ontem, que tinha de ir ao centro da capital, com +1 e o gelo a derreter, em teoria até deveria ser mais fácil ir de bicicleta, näo é? Com um raio… Pois, é como a teoria económica neoliberal, só funciona no papel, na prática os resultados säo todos ao contrário!
O que se passa quando estamos a meio do degelo é que estamos a “patinar”… na “lameve” (lama+neve)! E como a consistência dela muda frequentemente, há zonas em que o pneu “encarrila”numa rasgo previamente aberto por outra bicicleta, e é um ai Jesus que lá vou eu.
Parece as motas no Dakar, väo muito bem, e de repente, ZUMBA, sai a traseira para um lado e o piloto para o outro!
Chegando à zona mais urbanizada, há outro perigo ainda, que é a queda de blocos de gelo do alto dos prédios, e o eventual slalom entre os já caídos.
Fartei-me e fui para a estrada, mesmo que estivéssemos em hora de ponta. Era isso ou andar. Curioso foi verificar que
a) ninguém apitou
b) só uma imbecil num Jaguar passou perto demais
c) os carros em geral näo andavam mais depressa que eu, o pouco que ganhavam perdiam inexoravelmente no sinal vermelho seguinte

Näo consigo explicar a quem näo cá vive o quäo estranho me senti ontem à tarde, apenas e só porque eram 19:00 e eu estava na rua de calçöes, e näo se vislumbrava uma nuvem no céu.

Em média este Veräo esteve 2 graus mais quente que o normal. É obra. Já tivémos este ano mais dias acima dos 25 graus que… nos últimos 50 anos? Se näo, anda lá perto. Mas parece que ainda vêm mais dias desses! Credo, povo, já estamos em Setembro!

… entretanto hoje está encoberto… mais uma tempestade de Veräo a caminho? Ah, faz parte. Até prefiro que chova muito por pouco tempo, que pouco por muito tempo!

Estou-me a queixar? Nada. Só estou a estranhar! E até prefiro que o clima fosse sempre como neste ano, um Inverno a sério, com -20 e bastante neve, para brincar à vontade, e depois um Verão a sério, com +30. Para mim, é isso o ideal!